Avaliação do MEC apontou que apenas 1,9% dos cursos obtiveram nota máxima

 

A avaliação do Ministério da Educação apontou que apenas 1,9% dos cursos superiores receberam a nota máxima em 2016. Os dados são do Conceito Preliminar de Curso disponibilizados no site do MEC.

Os critérios levados em conta na avaliação são: o desempenho dos formados no Enade, o que o curso agregou ao aluno, o corpo docente e a opinião dos formandos sobre o curso realizado, como currículo, infraestrutura, entre outras informações. As notas vão de 1 a 5.

Foram analisados 4,1 mil cursos em diferentes áreas como saúde, ciências agrárias, eixos tecnológicos em ambiente e saúde, produção de alimentos, recursos naturais, militares e segurança. A avaliação só pode ser realizada em cursos com pelos dois alunos.

A avaliação apontou que em 0,4% dos cursos receberam a nota 1, e 7% a nota 2, em 50,5% a nota 3, em 40,3% a nota 4 e em 1,9% a nota 5. Os locais com a nota abaixo da média deverão receber visitas de técnicos do MEC para uma avaliação de resultados, segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira.

A nota baixa não significa que o curso é ruim, explica o coordenador-geral do controle de qualidade do Inep, Renato Santos. Essas graduações foram avaliadas pela última vez em 2013.

As instituições públicas foram as com melhores desempenhos de resultados. Um dos fatores que foram considerados nos resultados é a qualidade dos professores, tanto o regime de trabalho quando na capacitação dos mesmos. “Agora é importante observar como as instituições vão reagir com os resultados”, questiona o secretário de Regulação e Supervisão da Educação Superior do MEC, Henrique Sartori. “Dentro do ambiente regulatório, estamos muito acostumados a verificar quem é ruim. Quem é 1 e quem é 2, quem merece uma sanção, quem merece uma visita”, completa.

O secretário ainda declarou que para um resultado ser satisfatório o curso deve receber a nota a partir de três.

O indicador de qualidade que avalia as instituições de ensino superior também foram divulgadas pelo MEC, através do Índice Geral de Cursos. Os resultados mostraram que apenas 1,5% das instituições de ensino superior tiveram a nota máxima e 14% tiveram resultados insatisfatórios.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *