Produtos de limpeza doméstica podem causar doenças iguais ao tabagismo

De acordo com uma pesquisa realizada pelo Instituto Nacional Francês de Saúde e Pesquisa Médica, se respirarmos regularmente algumas substâncias dos produtos de limpeza, o pulmão é prejudicado tanto quanto o de pessoas que fumam cigarro, com um risco de adquirir uma doença obstrutiva crônica (DPOC), causada por quem fuma em até 32%.

Essa condição é aplicada a faxineiros, enfermeiros e pessoas que usam diariamente substâncias em suas rotinas.

Estudos anteriores já relacionavam a exposição à desinfetantes a problemas respiratórios. A DPOC é um grupo de condições do pulmão que causam dificuldades respiratórias, incluindo os enfisemas que causa danos aos sacos de ar dos pulmões ou doenças como bronquite crônica que é uma inflamação das vias aéreas de longo prazo. Os britânicos somam 3 milhões de pessoas com essas condições.

O estudo analisou enfermeiros que desinfetavam instrumentos e alas como suas atividades rotineiras, e contou com a liderança da médica Orianne Dumas do Instituto Nacional Francês de Saúde e Pesquisa Médica.

Uma pesquisa recente realizada pelo Instituto Nacional Francês de Saúde e Pesquisa Médica, descobriu que se respirarmos com freqüência algumas substâncias presentes nos produtos de limpeza, o pulmão é prejudicado tanto quanto o de pessoas que fumam cigarro, e ainda possuem um risco de adquirir uma doença obstrutiva crônica (DPOC), como as causada por quem fuma, em até 32%.

Isso ocorre com pessoas que trabalham diretamente com o produto, como faxineiros, enfermeiros e pessoas que usam com freqüência a substâncias em suas rotinas.

Anteriormente, os estudos já relacionavam a exposição aos desinfetantes com problemas respiratórios. A DPOC é um grupo de doenças do pulmão que causam dificuldades respiratórias, incluindo os enfisemas que causa danos aos sacos de ar dos pulmões ou doenças crônicas, como a broqnuite que é uma inflamação das vias aéreas de longo prazo. Os britânicos somam 3 milhões de pessoas com essas condições.

No estudo, que contou com a liderança da médica Orianne Dumas do Instituto Nacional Francês de Saúde e Pesquisa Médica, foram feitos testes com enfermeiros que desinfetavam instrumentos e as alas como diariamente.

Foram observados os desinfetantes e um específicos como o glutaraldeído e outros que são usados na higienização de instrumentos médicos, principalmente os usados para desinfecção de superfícies baixas como móveis e pisos. “Descobrimos que os enfermeiros que usam desinfetantes para limpar superfícies regularmente – pelo menos uma vez por semana – tiveram um risco aumentado de ter DPOC de 24% a 32% do que os outros”, explica a médica.

No resultado, mais de 55 mil enfermeiros que iniciaram suas carreiras em 1989 e até 2009 trabalharam na profissão, e acompanhados por 8 anos, pelo menos 663 deles sofriam de DPOC.

Apesar de essas conclusões serem iniciais na pesquisa, mais estudos serão realizados sobre os impactos da doença pulmonar sejam consideradas quando relacionadas à exposição ocupacional vitalícia a produtos químicos. “As descobertas mostram evidências adicionais aos efeitos de uma exposição a produtos químicos com problemas respiratórios e destacam a urgência em fazer uma integração das considerações de saúde ocupacional em diretrizes para limpeza e desinfecção em ambientes de saúde, como os hospitais”, disse Orianne.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *