Lama encontrada na Eslováquia é usada para o tratamento de dores

 

Image result for Lama encontrada na Eslováquia é usada para o tratamento de dores

Um dos maiores centros de bem-estar do continente europeu, está localizado na  Eslováquia  e recebe pessoas do mundo todo. Um dos motivos que levam tantas pessoas a esse destino, é a lama preta encontrada nesse local.

Essa lama é extraída de um rio, sendo encontrada em uma profundidade de dois mil metros, e depois ela acaba depositada em uma piscina. Depois essa lama passa por um processo que tem como objetivo a sua purificação, sendo utilizado para isso a água mineral sulfúrica e quente. Esse processo é usado para acabar com as bactérias e com as impurezas existentes nesse material. Somente depois de um ano, esta lama ficará adequada para ser utilizada como tratamento.

A médica Katarina Drgonova, esclarece que essa lama se caracteriza por ser milagrosa para o tratamento contra as dores, principalmente para problemas nas articulações e também os de coluna, ajudando a descontrair os músculos.

Isso acontece porque os minerais encontrados na lama, proporcionam essa sensação, explica a médica.

Nas profundezas das terras locais, também existe um tipo precioso de pedra, a opala, que é conhecida pelo seu jogo de cores fantásticas, sendo encontrada em Dubnic em uma antiga mina de opala, que foi a primeira do planeta.

A Eslováquia antigamente foi uma importante produtora dessa pedra preciosa, sendo que as galerias dessa mina começaram a ser exploradas, há cerca de quatrocentos anos.

Essa mina é bem grande, ela possui cerca de trinta quilômetros de túneis e a sua altura é de dezessete andares. No seu interior, essa mina é parecida com um queijo suíço, possuindo muitos buracos. A mina fica sempre submersa, e algumas tem que entrar nessa água apesar da temperatura ficar por volta de zero grau. Por ano, no máximo quarenta pessoas mergulham ali, porque esse é um local considerado um museu histórico, e não uma área de mergulho comum aberto ao público.

Esse mergulho não pode ser feito por amadores, e profissionais estão analisando os túneis inundados, e a cada trecho explorado, são fixados cabos para que o caminho de volta não seja perdido. Mergulhar nesse museu submerso, é uma oportunidade para poucas pessoas.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *