Luiz Carlos Trabuco e os outros presidentes do Banco Bradesco

Luiz Carlos Trabuco é o nome do atual presidente do Banco Bradesco. A instituição tem, em sua história, poucos membros que já ocuparam essa cadeira. Trabuco é o quarto presidente, imediatamente antes dele veio Márcio Cypriano. Este presidiu o banco durante dez anos, mas teve que deixar a posição por conta do estatuto do grupo que não permite presidentes com mais de 65 anos.

A reputação de Márcio Cypriano, no entanto, foi bem construída – o executivo deixou a presidência com uma ótima performance – durante o tempo em que esteve no comando da instituição financeira, ele multiplicou o seu valor de mercado de US$ 5 bilhões para US$ 30 bilhões.

Quem também ocupou o cargo de presidente do Banco Bradesco foi o próprio fundador da companhia, Amador Aguiar. Aguiar fundou o nomeado “Banco Brasileiro de Descontos S.A” em 10 de março de 1943, na região centro-oeste paulista, em um município chamado Marília, e sempre se preocupou em valorizar a relação e o contato direto com o cliente. Bem por isso, uma das primeiras providências dentro da instituição, logo que ela entrou em operação, foi tirar os gerentes de salas fechadas e colocá-los na linha de frente do atendimento. Esta foi a maneira que Amador Aguiar, que comandava os negócios nos primeiros anos de existência da empresa, chamou a atenção e destacou o banco entre os concorrentes da época.

Lázaro Brandão foi quem substituiu o fundador. Brandão foi, inclusive, o responsável pela indicação do atual presidente Luiz Carlos Trabuco.

De favorito a eleito

Luiz Carlos Trabuco era mesmo o favorito para assumir a presidência do Bradesco. Afinal, ele conhecia bem o banco – por lá ele já atuava há 40 anos. Entrou na empresa bancária em 1969, com 18 anos, iniciou carreira como escriturário e foi passando por todos os escalões da empresa. Bem por isso, o executivo cabia bem no conceito de um perfil de “continuidade e renovação” valorizado pela companhia.

Ainda que a concorrência fosse forte – com a presença na disputa de José Luiz Acar Pedro, por exemplo, que chegou ao grupo depois da compra do Banco de Crédito Nacional (BCN), em 1997; e também de Roger Agnelli (3 de maio de 1959 – 19 de março de 2016), na época, presidente da Vale – Luiz Carlos Trabuco acabou mesmo confirmando o favoritismo. O executivo, na época com 57 anos de idade, foi indicado pelo conselho de administração para liderar o Bradesco a partir de março de 2009.

Desde 1999, Trabuco já era vice-presidente do banco. O executivo também acumulava o cargo de chefe da seguradora do grupo, desde 2003.

Após eleito

Na presidência, Luiz Carlos Trabuco promoveu a criação de uma universidade corporativa. A ideia era buscar a renovação dos quadros de liderança. Ainda, no momento em que assumiu o comando da instituição fundada por Amador Aguiar, o Bradesco havia acabado de perder a liderança de mercado. Mas a oportunidade de manter o banco na briga pelas primeiras colocações no ranking veio anos depois.

Luiz Carlos Trabuco consolidou a compra da filial brasileira do HSBC por US$ 5,2 bilhões em agosto daquele de 2015. O negócio foi aprovado pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) no começo de junho de 2016. Em primeiro de julho do mesmo ano, o Bradesco anunciou ter pago R$ 16 bilhões na conclusão da compra de 100% das operações do HSBC no Brasil.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *