Order-ID: 26393 Hotel na Coreia do Norte faz trinta anos que está sendo construído

Related image

Na capital da Coreia do Norte, na cidade de Pyongyang, existe um hotel que nunca foi terminado, com 330 metros de altura e chamado Ryugyong. Ele está localizado no centro da capital norte-coreana, sendo mais conhecido como Edifício 105, já que nos seus 105 andares, nenhum hóspede jamais se hospedou ali.

Graças a sua cúpula pontiaguda e da sua forma de pirâmide, ele acabou virando um cartão postal e ele também pode ser visto de qualquer lugar da cidade.

A sua construção foi nos anos noventa, com o objetivo de mostrar o poder do país, sendo utilizado 2% do PIB da Coreia do Norte, ou US$ 750 milhões, mas a sua construção não foi terminada.

Esse empreendimento acabou se tornando a marca do insucesso da economia norte-coreana, e um vexame para o regime comunista do país.

O hotel que seria o mais alto do planeta, acabou se tornando o prédio mais abandonado do mundo. Isso aconteceu porque a construção que começou em 1987, exatamente um ano depois que a empresa SsangYong Group, da Coreia do Sul, havia acabado a construção do hotel Westin Stamford, em Cingapura, que até então ficou sendo o mais alto do mundo, e a Coreia do Norte queria mostrar, que poderia construir um mais alto ainda.

O hotel Ryugyong foi idealizado pelo governo da Coreia do Norte, para que investidores ocidentais pudessem investir no país, e ele teria cassinos, salões japoneses e casas noturnas.

A construção tinha uma estimativa de ficar pronta em dois anos, mas complicações com os procedimentos de construção e os materiais utilizados, diminuíram o ritmo das obras e em 1992, ela parou inteiramente, devido à crise que atingiu o país ocasionada pelo  fim da URSS  (União Soviética), de quem obtinha ajuda financeira.

Devido à péssima qualidade dos materiais usados na obra, e pela carência de medidas de segurança, uma comissão da Câmara de Comércio da União Europeia no país que inspecionou o hotel, descreveu ele como o pior prédio do mundo, e que não havia maneira de recuperá-lo.

Em 2008, depois de anos abandonado, um grupo de telecomunicações do Egito, a Orascom Telecom, começou a recuperá-lo com a parceria de uma companhia sul-coreana. O objetivo era melhorar a estética da cidade com novas vias, fachadas de prédios e teatros.

Cerca de dois mil trabalhadores começaram a cobrir com painéis de vidro a torre. Mas em 2012, a mesma empresa do Egito mostrou imagens feitas no interior do prédio, mostrando canos, fiações aparecendo e vigas.

Após trinta anos do início da construção, a reforma do hotel está sendo considerada uma prioridade para o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-um, demonstrando que ele deve ficar pronto finalmente.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *