Hepatite A, sabe o que fazer ao adquiri-la?

A Hepatite A é uma enfermidade infecciosa ocasionada pelo vírus VHA, transmitida por via oral-fecal, de uma pessoa contaminada pelo VHA para uma pessoa saudável ou através de produtos alimentícios, como: frutos do mar, vegetais e alguns doces, além de água contaminada.

Esse vírus pode sobreviver por até 24 horas na epiderme, além de ser resistente a degradações causadas por mudanças ambientais, fazendo com que sua disseminação aconteça de maneira facilitada, rápida e resiste durante muitos anos até mesmo em temperaturas negativas.

A hepatite A tem grande incidência em locais onde o saneamento básico é precário ou inexistente. Ao ser infectado uma vez o individuo desenvolve imunidade contra o VHA pelo resto da vida.

Para o diagnóstico acontecer de maneira eficiente, é necessário que todos os sintomas sejam levados em conta, além da realização de exames que detectam anticorpos contra o vírus VHA na corrente sanguínea e também pela presença do vírus nas fezes.

Os sintomas da hepatite A não aparecem logo de inicio e sim a partir do período de incubação, que pode acontecer de duas a seis semanas depois da infecção, por isso não há sintomas palpáveis, mas já é possível que a pessoa que adquiriu o vírus o transmita.

Entretanto algumas pessoas apresentam sintomas como, por exemplo: dores musculares, cansaço, febre, mal – estar, náusea e vômito. Outros sinais da doença que podem aparecer em estágios diferentes são: fezes esbranquiçadas, Icterícia e urina escura.

Mas na maioria dos casos os sintomas são extremamente generalizados, podendo ser confundidos com viroses, o que faz com que muitas vezes o paciente continue levando uma vida normal e que a hepatite A acabe de maneira espontânea, sem o individuo nem perceber.

Em grande parte dos casos, as pessoas entram em contato com o vírus durante a infância, e por isso é preciso cuidado nesta faixa etária, além de indivíduos que interagem com crianças, pois constituem um importante grupo de risco.

A hepatite é uma enfermidade benigna, mas não cuidada pode se desenvolver de maneira grave. Quadros como, por exemplo, a hepatite fulminante, que é uma situação piorada da infecção e pode causar graves consequências.

Não se tem conhecimento de um determinado tratamento para combater a hepatite A, entretanto ao surgirem os sintomas o próprio paciente mantém repouso por instinto, como em outras diversas doenças.

Indivíduos que convivem com pessoas infectadas ou estão com baixa imunidade são indicadas a receber imunoglobulina policlonal para prevenir uma possível infecção.

É necessário que a ingestão de álcool seja suspendida, ou evitado até que o organismo volte ao normal, principalmente as enzimas hepáticas.

Até o momento existem duas vacinas contra a hepatite A, a primeira é aplicada em duas doses e a segunda em três doses, distribuídas em intervalos de seis meses.

A vacina contra esta enfermidade não esta incluída no programa oficial de vacinas, mas podem ser aplicadas desde o primeiro ano de vida, já que sua eficácia não é comprovada abaixo desta idade.

Indivíduos pertencentes a este grupo de risco ou que convivem com infectados também tem de ser vacinadas.

Eduardo Sirotsky Melzer faz parte da lista dos 17 líderes globais de empresas familiares deste ano

Resultado de imagem para Cambridge Institute for Family Enterprise

O atual presidente do Grupo RBS, Eduardo Sirotsky Melzer, também chamado de Duda Melzer, integra, pela terceira vez seguida, a lista nomeada de “17 Next Generation Family Enterprise Leaders to Watch in 2017”. Ela é realizada pelo instituto de pesquisa e educação Cambridge Institute for Family Enterprise – que, em português, significa Instituto Cambridge de Empresas Familiares – e trata-se dos 17 líderes da próxima geração de empresas familiares para se observar em 2017. A lista elenca os principais e mais influenciadores líderes em negócios empresariais e filantrópicos no mundo.

Quem fez a escolha dos 17 integrantes em questão foi um time de especialistas em negócios familiares, presidido pelo professor doutor da Harvard Business School, John Davis – ele é um dos maiores especialistas mundiais em empresas familiares.

Em nota oficial, Davis manifestou – “Eles são pioneiros, estão redefinindo a forma de liderar, não apenas pela excelência com a qual lideram as organizações de suas famílias, mas também pelo seu impacto na sociedade, e merecem ser reconhecidos”.

Os membros da lista do Cambridge Institute for Family Enterprise

Fazem parte da lista em que está Eduardo Sirotsky Melzer presidente do Grupo RBS, líderes membros de empresas familiares engajadas em atividades inovadoras, com menos de 50 anos, que tenham provado sua capacidade no comando desses negócios, e com valores que buscam perpetuar um legado que contribua para a evolução da sociedade.

Além do presidente do Grupo RBS, também foram reconhecidos na lista do Cambridge Institute for Family Enterprise o vice-presidente executivo do Itaú Unibanco, Ricardo Villela Marino; a vice chair da Clinton Foundation, Chelsea Clinton; o neto de Gianni Agneli, que assumiu a presidência da Fiat Chrysler em abril passado, John Elkann; a diretora da Virgin Management Ltd. e chair da Virgin Unite, Holly Branson; e o CEO da Hermes International SCA, Axel Dumas.

Simone Bagel-Trah; Suphachai Chearavanont; Adriana Cisneros de Griffin; Galahad Clark; Will Deague; Ben Goldsmith; Nisha Jagtiani; Glauco Lolli-Ghetti; Michael Sellman; Mikkel Vestergaard Frandsen; e Alannah Weston completam os 17 integrantes.

O Cambridge Institute for Family Enterprise

O Cambridge Institute for Family Enterprise é uma empresa global de pesquisa e educação dedicada às principais questões enfrentadas por empreendimentos familiares multigeracionais. Ela foi fundada por John A. Davis e configura-se em um espaço no qual empreendedores buscam aprender, trocar ideias, desenvolverem-se e posicionar as suas companhias para que permaneçam bem-sucedidas por muitas gerações.

O líder Eduardo Sirotsky Melzer

Eduardo Sirotsky Melzer chegou à presidência da RBS em 2012 e, em 2015, à presidência do Conselho de Administração da companhia. No mesmo ano, foi premiado como Empreendedor do Ano (Ernst e Young), na categoria Family Business.

O executivo também é chairman e fundador da e.Bricks, empresa de investimentos no setor digital, que tem atuação no Brasil e Estados Unidos.

Eduardo Sirotsky Melzer é neto de Maurício Sirotsky Sobrinho, fundador do conglomerado de mídia brasileiro da família Sirotsky – o Grupo RBS foi criado em 31 de agosto de 1957.

 

Decolagem de aviões: estudo prevê problemas com aquecimento global

Resultado de imagem para decolagem de aviao

O aquecimento global tem aumentado a temperatura do Planeta a cada ano e algumas consequências podem ser observadas. Uma delas é em relação à decolagem de aviões, que pode ter problemas nas próximas décadas — conforme conclui um estudo que teve início após uma onda de calor que resultou no cancelamento de alguns voos no Arizona.

Os cientistas advertem sobre o problema do efeito estufa e das emissões de gases — se não diminuírem, as companhias terão que reduzir a carga dos aviões e/ ou o combustível em cerca de 4% nos dias mais quentes.

De acordo com o estudo publicado pela revista Mudanças Climáticas (“Climatic Change”). O aconselhável é que nos momentos mais quentes do dia, as aeronaves diminuam seu peso de 10% a 30% por meio de redução de carga ou passageiros ou aguardem para voar quando a temperatura cair.

Vale lembrar que pode haver um impacto econômico considerável dessas medidas sobre as companhias aéreas do mundo inteiro — afirma Ethan Coffel, um dos autores do estudo e aluno de doutorado na Universidade de Columbia.

Disse ainda que quanto mais rápido essas mudanças climáticas forem incorporadas no planos de cada companhia aérea, melhores serão os esforços necessários para se adaptarem.

O estudo fez um cálculo de que seria necessária uma redução de 4%, que pode significar uma diminuição de 12 a 13 passageiros em um voo que possui em média 160 pessoas.

Uma boa explicação é que ao esquentar, o ar fica menos denso e as asas da aeronave perdem um pouco da sustentação. Se a temperatura tiver subido muito, alguns fatores podem interferir e fazer com que o avião tenha dificuldades de decolar com segurança, são eles: tipo de aeronave, comprimento da pista de decolagem e avião cheio.

O problema ocorre, em especial, durante as ondas de calor que vem acontecendo cada vez com mais frequência. A projeção desse estudo diz que até 2080 as temperaturas diárias máximas em aeroportos devem subir de 4 para 8 graus centígrados.

Radley Horton, da Universidade de Columbia, que também participou da pesquisa, disse que alguns efeitos podem ser abrandados se pensarem em novos motores, novos designers e o aumento das pistas de decolagens.

É um problema que já preocupa autoridades, tendo em vista que as temperaturas altas levaram a companhia American Airlines a cancelar 43 voos de partida e chegada, quando o termômetro marcou 49 gruas Celsius, em 20 de junho no aeroporto Phoenix Sky Harbor — no Arizona.

Os pais devem ficar atentos com os conteúdos impróprios para crianças no Youtube, afirma advogada

Resultado de imagem para criancas youtube

A internet já é uma das principais formas de entretenimento das crianças, mas para quem usa a internet para ver desenhos é preciso tomar cuidado. Entre os vídeos feito para as crianças, podem estar escondidas imagens fortes de violência. Essas versões impróprias dos vídeos costumam ser feitas por hackers e nem sempre são detectadas pelos filtros infantis do Youtube.

O Youtube é uma plataforma recheada de desenhos que entretêm e hipnotizam as crianças, em que é possível definir, senha, configurações e até o tempo de navegação. Esse conteúdo pode ser acessado com facilidade pelas crianças que já tem o mínimo de conhecimento com a internet, mas fica o alerta para os pais: muitos se aproveitam para inserir conteúdos perigosos de origem pornográfica e violenta.

A analista de recursos humanos, Iara Cordeiro, considerava o Youtube um aplicativo 100% seguro para seu filho Gustavo, até ele começar a usá-lo. “Ele buscou um vídeo que ele gosta muito de dois personagens e jogou na televisão, duas brincadeiras que os personagens estavam fazendo e logo em seguida um personagem esfaqueou o outro.”

O Youtube tem um filtro automático que seleciona os vídeos, mas este é justamente o problema, pois não tem uma pessoa que verifica se aquele vídeo é ou não próprio para as crianças. A partir desta brecha que os criadores destas publicações impróprias se aproveitam para despistar o Youtube.

O algoritmo tende a se deixar enganar pelas imagens e pela trilha aparentemente inofensivas em parte do vídeo e acaba liberando conteúdos mais pesados. No termo de autorização de uso do aplicativo existe um aviso de que o sistema não é perfeito e que se você encontrar vídeos que considere inadequados pode denunciar. A advogada, Alessandra Borelli, explica que mesmo admitindo que o filtro não é 100% eficaz, não exime o Youtube de responsabilidade.

“A partir do momento que ele está ciente de que um determinado conteúdo está ferindo os direitos das crianças, ele precisa remover este conteúdo desta plataforma. Então a sua responsabilidade está em atender as denúncias realizadas pelos usuários”, explica Alessandra.

Iara acompanha de perto a navegação de Gustavo, um vídeo denunciado por ela com mensagens de bullying, está entre os dez já denunciados por ela. “Eu acho que de uma forma prioritária, a segurança e a formação dos princípios devem vir de casa, mas por ser conteúdos voltado pra crianças, o controle deveria ser muito melhor para se ter mais segurança de informação. Da forma que está deixa a desejar e põe em risco a imaginação das crianças.”

“A melhor solução, a melhor medida, é sem dúvidas o diálogo e o acompanhamento dos pais, até porque o dever de vigilância compete aos pais e aos responsáveis direto pela criança. Também o ideal é selecionar conteúdos já consagrados por sua segurança e entretenimento, conteúdos já conhecidos pela a maioria dos país”, reforça a advogada, Alessandra Borelli.

 

Especialistas enfatizam a importância dos exercícios físicos na terceira idade

Resultado de imagem para exercícios físicos na terceira idade

Até pouco tempo atrás era comum dizer que o Brasil era um país jovem. Até na década de sessenta eram pouco mais de três milhões de pessoas acima dos 60 anos, hoje são mais de 20 milhões. Mas não adianta apenas viver mais, é preciso viver bem. Exercícios físicos nessa faze da vida melhoram a saúde física e mental. Lembrando que nunca é tarde para começar.

Cabelo branco não é desculpa para sedentarismo. Cinco vezes por semana, o economista aposentado Carlos Roberto Ferreira corre 15 quilômetros. Aos 74 anos de idade sobra disposição para ele se exercitar. “Eu estou me preparando para a São Silvestre e estou preocupado em viver bem, com muita qualidade de vida”.

14% da população hoje tem mais de 60 anos. O número é o dobro do começo da década de 90 e tende a aumentar. Por isso cuidar da saúde é tão importante. A aposentada, Valentina Madeira Dias, também se esforça para não ficar parada enquanto o tempo passa. “Tenho que sair logo de manhã que é para começar o dia logo com energia e vontade de continuar”.

Fazer exercícios ajuda a repor a massa muscular que naturalmente se perde com o processo de envelhecimento do corpo humano. Mas é preciso tomar cuidado, porque na terceira idade o risco de lesões também se torna maior.

Na academia 4you!, localizada na cidade de São Paulo, os alunos com mais de 60 anos são obrigados a apresentar laudo médico antes de ingressar na malhação. Os treinos elaborados por professores também são específicos para a terceira idade. “A recomendação é alongamento com musculação, um treino moderado e procurar fortalecer bem a musculatura, principalmente a lombar, porque o idoso acaba sofrendo muito acidente nessa região”, diz o professor de educação física da 4you!, Paulo Freitas.

A aposentada, Iara D’ Ambrósio, frequenta a academia há mais de 10 anos. Hipertensa, ela sofreu um acidente vascular cerebral quando se submetia a um cateterismo. Ficou internada, mas graças aos exercícios teve uma recuperação mais rápida. “Não digo pra vocês que eu gosto ou adoro vir para academia, não, mas se eu não venho o meu corpo sente falta e eu acho que é muito necessário. Venho sim contente, porque saio daqui me sentindo muito bem”, diz Iara.

“Sem saber, muitos idosos desenvolvem lesões com ginásticas não monitoradas”, explica o ortopedista Marcelo Soares. “Os casos mais comuns são lesões musculares e de cápsula articular, que envolve internamente o ombro”, diz Marcelo.

“Acabou aquela história de atividade de baixo impacto. O idoso tem sim que fazer musculação, se mexer, embora sempre acompanhado. Eles precisam de atenção séria e não podem fazer esforços com orientações amadoras, de quem compartilha o espaço”, diz o especialista, que também reforça a grande importância das pessoas em outras faixas etárias desde sempre praticarem uma rotina diária de exercícios.

 

Estudantes de medicina vendem livros para ajudar maternidade

Alunos de medicina da Universidade Federal do Tocantins (UFT) encontraram uma maneira de ajudar recém-nascidos da maternidade Dona Regina, em Palmas: vendem livros para arrecadar dinheiro e comprar equipamentos que estão faltando no hospital.

A ideia é conseguir equipamentos essenciais no atendimento aos bebês, mas os alunos — da Liga Acadêmica de Neurociência — sabem que o maior problema está no valor dos aparelhos. São 16 equipamentos para a sala do parto, avaliados em 125,6 mil no total, sendo eles: Duas incubadoras de transporte de recém-nascidos avaliados em até 55 mil; seis oxímetros de pulso neonatal, de 3,6 mil cada; quatro ressuscitadores infantis por 1,25 mil cada e quatro monitores multiparamétricos, que totalizam 44 mil (11 mil cada). Os dados relatados — tanto de quantidade, quanto de valores — são do próprio estado, de acordo com o estudante Arthur Moreira Gomes. Ele ainda disse que a ideia surgiu do contato diário com a realidade do hospital, e argumentou que a falta de equipamentos acaba aumentando a taxa de mortalidade, além de deixar sequelas neurológicas e permanentes.

O autor do livro, que pode ajudar a salvar vidas, é o professor da Universidade Federal do Tocantins, doutor em psiquiatria e incentivador da campanha Leonardo Baldaçara, que já doou 200 obras e estão sendo vendidas a R$ 35, cada. Já foram arrecadados R$ 1.250 e, apesar de parecer pouco, os alunos estão confiantes; com essa quantia já é possível comprar um ressuscitador.

O professor ainda argumentou que uma das formas de prevenir doenças mentais é durante a gestação, na hora do parto e nos primeiros meses de vida. A campanha tem o objetivo de ensino e assistência, pois segundo Baldaçara, os equipamentos também são úteis para treinar novos médicos.

A venda dos livros e a arrecadação do dinheiro seguirá até o fim do ano e o objetivo é comprar um, de cada equipamento em falta. A Secretaria de Estado da Saúde informou os números de aparelhos disponíveis no Hospital e Maternidade Dona Regina. São duas incubadoras de transporte, 20 oxímetros de pulso e 35 monitores multiparamétricos. Ainda há um processo de aquisição de dois ressuscitadores infantis sendo finalizado.

 

Conheça mais sobre a trajetória de sucesso de Cassio Audi da banda Viper

O grupo Viper tem suas origens na região de Santa Cecília, em São Paulo, local em que Pit Passarell, Yves Passarell e Felipe Machado começaram a se interessar por música e aprenderam seus primeiros acordes de baixo e guitarra. Assim que tiveram a ideia de formar uma banda, os três adolescentes escolheram outros nomes a princípio, como Pruckles, Dragon e Rock Migration, até finalmente optarem por Viper.

Enquanto ainda eram conhecidos como Rock Migration, o grupo fez as suas primeiras apresentações, utilizando os cachês recebidos para comprar novos instrumentos musicais. Contudo, a banda enfrentava alguns problemas na tentativa de encontrar um baterista que se encaixasse ao estilo do grupo. Durante alguns meses, Markus Kleine tocou no Viper, mas apenas temporariamente, sendo logo depois substituído de forma definitiva por Cassio Audi.

No início dos anos 80, a banda marcou presença em um grande festival de talentos, o maior evento da história do Viper até então. Em sua apresentação, o grupo escolheu cantar a canção de autoria própria, “H. R.”, e também o cover de “Paranoid”, sucesso do Black Sabath, o bastante para superar várias concorrentes e terminar o festival em terceiro lugar. Logo em seguida, o grupo ganhou mais um membro, o vocalista Andre Matos, que se juntou a formação anterior do Viper, da qual já faziam parte Cassio Audi, Felipe Machado, Pit Passarell e Yves Passarell.

No ano seguinte, a banda assinou contrato com a Rock Brigade e começou a desenvolver o seu primeiro CD, lançado em 1987 com o nome de “Soldiers of Sunrise”. Os grandes sucessos desse álbum foram as canções “Wings of the Evil”, “The Whipper” e “Knights of Destruction”, que foram compostas com a influência de nomes de peso do metal como Judas Priest e Iron Maiden, as quais podiam ser identificadas nas músicas do Viper.

A música “The Whipper” foi um dos primeiros sucessos instantâneos do grupo, que contagiou os fãs do Viper com um refrão bem elaborado e acordes sonoros do baixo e especialmente da bateria de Cassio Audi. Com o seu álbum de estreia, a banda conquistou o público de heavy metal brasileiro, o que resultou em um imenso sucesso comercial que ultrapassou as expectativas da gravadora e alavancou o grupo para um novo patamar. O reconhecimento foi tanto que, em pouco tempo, o Viper assinou contrato com uma gravadora ainda maior, chamada El Dourado.

Em questão de alguns anos o Viper já havia conquistado um grande número de fãs internacionais, principalmente em países europeus e no Japão. Em solo japonês, o grupo chegou a realizar uma turnê e bateu recordes importantes ao vender um número superior de cópias que grandes bandas como Van Halen e Nirvana. Paralelamente, Cassio Audi, Felipe Machado, Andre Matos, Pit Passarell e Yves Passarell também ganhavam fama no Brasil e se estabeleciam entre as principais bandas nacionais de heavy metal.

Em retrospectiva, um dos grandes diferenciais da banda Viper foi a força da bateria de Cassio Audi e os vocais de Andre Matos, que hipnotizaram o público e deram mais vida e personalidade as canções do grupo.

Novo vírus ataca computadores e consegue roubar dinheiro

 

Image result for virus de computador

A segurança da informação é um requisito que precisa ser priorizado diante dos avanços tecnológicos que cada vez mais envolvem transações financeiras que precisam de sigilo e proteção. Os vírus que tentam aplicar um golpe em um computador tem a intenção de se aproveitar de alguma falha no sistema para tirar uma vantagem grande. O cuidado com a proteção das informações de um computador ou de uma rede de computadores devem sempre garantir a inviolabilidade dos dados, mas nem sempre é isso o que acontece.

Um novo ciberataque surgiu com a intenção de roubar moedas virtuais em uma proporção gigantesca. Segundo especialistas na área de segurança da informação, o novo malware tem o nome de Adylkuzz e age se aproveitando da vulnerabilidade do sistema operacional Windows da mesma maneira que o vírus WannaCry, que conseguiu bloquear dados em mais de 300 mil computadores em mais de 150 países, mas o vírus Adylkuzz tem uma forma de ação mais discreta para conseguir subtrair dinheiro de suas vítimas virtuais.

O especialista e pesquisador em segurança cibernética da Proofpoint, Nicolas Godier

afirmou: “Ele utiliza, com mais discrição e para diferentes propósitos, ferramentas de pirataria recentemente reveladas pela NSA (Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos) e a vulnerabilidade agora corrigida pela Microsoft”.

Em uma nota para a imprensa a empresa Microsoft confirmou que o vírus o WannaCry foi desenvolvido a partir de um código criado pela NSA, que foi usado explorar uma fraqueza no código de segurança do Windows. O código teve o seu vazamento por ações de hackers em agosto de 2016 e assim foi criado um vírus que conseguiu infectar com um amplo alcance computadores de diferentes partes do mundo.

Em um novo ataque recente o especialista diz: “Ainda desconhecemos o alcance, mas centenas de milhares de computadores podem ter sido infectados” afirmando para a AFP Robert Holmes, da Proofpoint. Conforme as investigações que estão sendo feitas já foi constatado que o novo ataque pelo vírus Adylkuzz tem uma proporção muito maior que o WannaCry.

O ataque do vírus Adylkuzz cria de forma invisível unidades de uma moeda virtual que não é localizável, tem o nome de Monero e se assemelha com o Bitcoin. As informações que são usadas pelo ataque são obtidas a partir do computador afetado e são enviadas a um endereço que mantém seu sigilo com criptografia.

O principal sintoma desse vírus é a performance do computador que se torna mais lenta. A empresa Proofpoint afirma que conseguiu detectar em alguns computadores um pagamento de milhares de dólares sem que seus usuários estivessem cientes. Já ocorreram vários ataques dessa categoria que envolve moedas virtuais, no entanto, nenhum ataque teve uma escala tão alta e com resultados tão devastadores quanto o realizado por Adylkuzz.

 

 

Governo desperdiça 2 bilhões de reais todos os anos com aluguéis de imóveis

Image result for desperdicio de dinheiro

Mesmo com a crise ainda batendo na porta dos brasileiros, o governo continua jogando dinheiro fora com aluguéis de prédios públicos. São quase 2 bilhões de reais todos os anos gastos com aluguéis, e para piorar a situação, o governo possui 18 mil imóveis que permanecem fechados e inutilizados.

O atual governo só fala em cortes de gastos e reajustes, mas se esquece dos gastos mais desnecessários que deveriam ser cortados. Enquanto isso, a população sofre com cortes de benefícios indispensáveis como aposentadoria e aumento nos impostos dos produtos mais utilizados, como os alimentos.

O prédio da Procuradoria Geral da Fazenda Nacional – PGFN, custa 19,7 milhões de reais todos os anos para o bolso da União. Próximo a esse prédio, está a propriedade alugada que funciona a Defensoria Pública da União – DPU, considerado um dos melhores prédios da região. O custo para manter esse aluguel é de 15,1 milhões de reais por ano. A União mantém os contratos mais caros e a maioria dos contratos de locação do país.

No ano passado, a conta de aluguéis pagos pelo governo fechou em 1,7 bilhão de reais. Um pouco menos que o ano de 2015, que teve um fechamento de 1,8 bilhão de reais gastos com contratos de longo prazo em locação de prédios públicos. Esse levantamento foi realizado e divulgado pela Associação de Contas abertas.

O Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil, foi o campeão de gastos com aluguéis de imóveis em Brasília. Somente no mês de março desse ano, foi assinado um contrato de locação de 87 milhões de reais pelo ministro Maurício Quintela, onde funcionará a Secretaria de Aviação Civil e a Secretaria de Portos por um período de 10 anos. No entanto, a administração dessa região afirma que o local alugado só poderá ser usado para acomodar escolas, cinemas, teatros, associações beneficentes, entre outros.

O porquê do governo ter escolhido esse lugar para abrigar um órgão público, ninguém sabe. O assunto virou polêmica, fazendo com que o ministério viesse a público e dissesse que cancelaria o contrato. Segundo o ministério, o imóvel foi alugado somente porque a responsável por fazer esse tipo de planejamento, a Secretaria de Patrimônio, disse que não possui uma imóvel sede.

O mais contraditório disso tudo, é que o governo possui vários imóveis que permanecem desocupados, enquanto continua abrindo novos contratos de locação. Segundo dados da associação, o governo possui 18.091 imóveis inutilizados, que inclui desde residências, a galpões e prédios. Esses gastos são extremamente revoltantes. Enquanto o governo desperdiça dinheiro público com despesas desnecessárias, a população que acorda cedo para trabalhar todos os dias, tem que contar moedas para fazer a compra do mês.

Veja também: Como um país paradisíaco como a Venezuela está falido