Cientistas afirmam que a ingestão de frutas fez com que o cérebro humano ficasse maior

Resultado de imagem para ingestao de frutas

Um novo estudo publicado pela revista científica “Nature Ecology & Evolution”, revelou que o cérebro humano pode ter tido a influência da ingestão de frutas em sua formação. Segundo os estudiosos, comer frutas foi determinante para que os humanos adquirissem cérebros mais volumosos, a explicação para isso está na energia fornecida por esses alimentos.

O pesquisador da Universidade de Nova York e também responsável pelo estudo, Alex Decasien, revelou: “Foi assim que conseguimos esses cérebros enormes”. Sua teoria é de que a energia gerada pelas frutas quando ingeridas, foram determinantes na formação de cérebros grandes, como o que temos atualmente.

Para realizar o estudo, os pesquisadores observaram 140 espécies de primatas e os alimentos básicos ingeridos por eles. A conclusão dos pesquisadores foi que as dietas não tiveram grandes alterações ao longo da mais recente evolução. No entanto, a observação dos pesquisadores revelou que as espécies que se alimentavam de frutas, possuíam um cérebro 25% maior do que os que se alimentavam principalmente de folhas.

Essa nova teoria sobre as frutas, vai na contramão da teoria anterior sobre a evolução do cérebro humano. A antiga teoria de 1990, afirmava que o cérebro humano ficou maior com o passar do tempo por causa da necessidade de sobreviver e de reproduzir da espécie. O pesquisador Decasien, afirma que a sobrevivência, a reprodução e o convívio em grupo, podem ter sido determinantes para que o ser humano desenvolvesse a inteligência. Contudo, durante seu estudo, Decasien não encontrou nenhuma associação que ligasse a vida social dos primatas com o tamanho de seus cérebros. No caso da ingestão de frutas, o pesquisador notou que os animais que se alimentavam principalmente de frutas possuíam cérebros maiores.

As frutas são alimentos ricos em energia e em outros nutrientes importantes para a manutenção do corpo humano. Além disso, a energia gerada por uma fruta é muito maior do que a gerada pela ingestão de folhas e vegetais, o que segundo a nova teoria, seria totalmente importante para a formação de cérebros maiores. Os pesquisadores ainda avaliaram que algumas características das frutas podem ter contribuído para que os cérebros humanos ficassem maiores, como por exemplo: ter que se lembrar de onde a fruta foi encontrada, conhecer quais plantas produzem a fruta, desenvolver maneiras para abrir frutas com cascas mais rígidas, entre outras. Segundo os pesquisadores, essas ações também podem ter colaborado para a transformação no cérebro humano.

O pesquisador da “Universidade de Reading”, Chris Venditti, alegou sobre a nova teoria: “Muitas perguntas permanecem, mas eu me sinto confiante de que o estudo deles vai reorientar e revigorar a pesquisa que procura explicar a complexidade cognitiva em primatas e outros mamíferos”. Venditti, assim como outros pesquisadores estão esperançosos com a nova teoria que parece ser mais explicativa que a anterior.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *